sexta-feira, 16 de maio de 2008

O CASAMENTO CRISTÃO E A NOITE DO LAVA PÉS.


Jesus se levantou da mesa e começou a lavar os pés dos discípulos Jo.13.5

Aprenda esta lição: Se voce tem de fazer o trabalho de um profeta, voce precisa nao de um cetro mas de uma enxada - Bernardo de Clairvaux

Como a Cruz é o símbolo da submissão, assim a toalha é o símbolo do serviço - Richard J. Foster


A noite do lava-pés é uma das maiores lições que Jesus Cristo deu para a humanidade. O leitor desapercebido não entenderá a profundidade dessa sublime cena se ele não voltar a sua mente e o seu olhar para 2.000 anos atrás.

Este ato nobre de Jesus Cristo naquela noite fatídica na qual ele iria ser traído é um protótipo de serviço e amor pelo próximo. Naquela época as pessoas andavam pelas ruas empoeiradas da Palestina e adquiriam no percurso da caminhada poeiras nos seus pés.

Era um ato de educação lavar os pés das pessoas que se achegavam na sua casa para a refeição. Não lavar os pés era um gesto de egoísmo e de falta de consideração pois eles faziam as suas refeições em Divãs.

Porém lavar os pés naquela cultura era um serviço do servo mais humilde do escravo. Naquela noite no cenáculo que foi realizado a “Santa Ceia do Senhor”, os 12 Apóstolos de Jesus Cristo estavam ali reunidos para celebrar a páscoa, porém ninguém se dispôs a lavar os pés uns dos outros.

A atitude dos Apóstolos foi uma atitude de individualismo, de orgulho, de egoísmo de falta de amor, falta de consideração, falta de serviço ao próximo.

A Bíblia diz que diante daquela cena, daquela atitude estranha e preconceituosa , Jesus Cristo, sendo, Senhor, sendo Mestre, sendo "Deus" tomou a Toalha e a Bacia símbolo do serviço sacrificial e saiu a lavar os pés dos apóstolos um pôr um. Aquele da qual um dia todo joelho se dobrará e toda lingua confessará que Ele é o Senhor para a glória de Deus Pai, estava agora de joelhos diante dos seus apóstolos sobre os olhares fixos daqueles homens campesinos.

Ele lavou até os pés daquele que iria trair ele “Judas Iscariotes”. Com este ato sublime Jesus Cristo mostrou que o segredo da felicidade Cristã é a doação, o amor ao outro e a profunda consideração ao próximo é o serviço marcado pela doação generosa com perfume de amor sem reserva.

Jesus Cristo é um modelo perfeito para o casamento segundo os padrões de Deus. Ele mesmo disse: “Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Pôr que eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também (Jo.13) Jesus amou sem medida foi fiel a sua missão e ensinou o caminho do contentamento e do serviço que agrada ao Pai.

O casamento sadio deve Ter a sua Base: no amor, na entrega total, no serviço, na fidelidade, no contentamento, na honra um pelo outro e em Deus. A Bíblia diz que o amor de Jesus Cristo pelas pessoas não tem fim. O texto diz que ele amou até ao fim.

O casamento verdadeiro permanece até o fim. Esse é o propósito de Deus. Há única coisa que poder romper esse padrão bíblico é somente a morte. Pôr isso falamos “até que a morte os separe”. Judas Iscariotes naquela noite “traiu” Jesus Cristo e desaparecendo na noite vendeu seu Senhor por moedas fajutas da ocosidade da religião fugaz e opressora.

A traição no componente matrimonial é uma atitude desleal é apunhalar pelas costas é desmerecer é pecado é murchar as pétalas da poesia conjugal e ir contra o princípio estabelecido por Deus. O casamento cristão nunca pode ser estigmatizado pôr este ato mas ele deve ser “regado pela fidelidade e o altruísmo” pela convicção e a graça divinal.

O texto diz que Jesus Cristo pegou uma TOALHA e deitou água na BACIA e lavou os PÉS dos apóstolos e os enxugou. O casamento Cristão deve Ter a sua base na TOALHA e na BACIA.

Isso significa que os cônjuges devem servir um ao outro, devem estar dispostos a se doar um pelo o outro. Deve estar disposto a cuidar um do outro na fartura ou na escassez,na alegria ou na tristeza.

Lavar os pés no contexto de Jesus Cristo era morrer naquela cruz pôr amor de todos nós. Está foi a maior prova do amor de Deus pela a humanidade.

Lavar os pés para os cônjuges é estar juntos na hora da dificuldade, suportar o outro na sua fraqueza, criar um lar juntos que glorifica a Deus, ser feliz e mais do que isso fazer o outro feliz, enxugar as lágrimas um do outro, incentivar o outro quando ele esta abatido, proteger o outro na hora da sua fragilidade e caminhar os dois juntos sem olhar para trás a milha sacro- santa do casamento.

Jesus Cristo disse naquela noite para os seus apóstolos : Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros. A base do casamento é o amor. Este amor santo busca o interesse não de si mais do outro.

O caminho do casamento é como as estações: Primavera, outono, inverno e verão, todavia se o cônjuges estiverem fundamentados na Rocha que é Cristo e seguir o modelo do Senhor de lavar os pés um do outro como forma de amor e doação eles serão sempre vitoriosos.

Soli Deo Glória

Pastor Carlos Augusto Lopes
Teólogo

Um comentário:

Patricia Gonçalves Calheirana disse...

Pastor essa palavra é linda,gostaria de que todos os cristãos pudessem ler e pratica-la.
Porém vivemos em um mundo onde o orgulho e o egocentrismo tem matado a fé cristã e nos cristãos.