sexta-feira, 3 de julho de 2009

A Vida do Apóstolo Paulo Narrada por Ele: Do meu Próprio Punho

Meu nome é Saulo de Tarso

Eu gostaria primeiramente de me apresentar para as pessoas que vão ler sobre a minha vida, sobre a minha história. Na verdade na minha cultura se dá muito valor para as genealogias para as histórias e para vida das pessoas.

Eu sei que você está curioso ou ansioso para saber do meu [1]próprio punho a minha história de vida e como foi o meu envolvimento com o cristianismo e a minha total entrega para o serviço cristão, já que durante tanto tempo fui fariseu da aristocracia judaica e quanto a Lei mui zeloso.

Antes de eu narrar isso que eu chamo de aventura da fé porque muitas pessoas da minha época me chamaram de louco em virtude da minha posição cristã eu sou completamente grato a Deus pôr esse momento especial. Eu sempre frisei de maneira muito clara que a graça de Deus é algo formidável e que Jesus Cristo é o centro de tudo.

Pôr isso eu quero louvar o seu nome antes de falar de mim e dizer como ele pela sua infinita graça usou a mim para proclamar o seu reino entre as nações, eu o maior dos pecadores que fui perseguidor da igreja nos primórdios daquele santo movimento. Para as pessoas que não me conhece o meu nome é Saulo e alguns dizem “Saulo de Tarso[2]”.

Minha mãe e meu pai me deram esse nome em homenagem ao primeiro rei de Israel chamado Saul filho de Quis[3]. Fui circuncidado ao oitavo dia como todos os meninos judeus da minha época, meus pais relataram que o cerimonial foi acompanhado de festa, presente e gratidão a Deus.

Meu nome latinizado é Paulus,mas Saulo era o nome usado em casa, isso servia para ressaltar minha herança judaica em meio ao mundo gentílico que me cercava não somente a mim mas muitos judeus. Por causa da minha educação eu falava o grego e tinha conhecimento do latim , todavia minha herança judaica era o aramaico a língua da Judéia na qual falávamos em casa que deriva do hebraico.

Eu gosto de contar sobre o meu passado pois ele é marcado pela intervenção de Deus sobre o seu povo no Egito terra da escravidão. A nação de Israel era divida em 12 tribos que formavam o povo de Deus o povo da aliança. Eu pertenço a tribo de Benjamim[4] e meus pais colocaram o meu nome de Saulo em virtude do Rei Saul que pertencia também a essa tribo.

Outra coisa importante ressaltar aqui como fonte de conhecimento as gerações mas novas é que Saul na minha cultura e língua significa Querido. A história dos meus antepassados é muito rica em detalhes e marcada pela soberania de Deus e quando eu me lembro disso os meus olhos ficam cheio de lágrimas meu coração acelera, minha língua fica presa e minha boca fica ressecada. Benjamim que deu o nome para a nossa tribo foi o último dos patriarcas que compôs as 12 tribos de Israel ele nasceu na jornada dolorosa do regresso de Jacó para Canaã, já os outros filhos nasceram em Padã Arã, nordeste de Canaã terra de Labão. Benjamim nasceu no caminho de Efrata que é Belém cidade natal de Jesus Cristo[5].

Raquel mãe de José e Benjamim entrou em trabalho de parto neste local e a tradição diz que foi penoso aquele momento, a parteira cheia de fé animou Raquel dizendo “não temas, pois ainda terás este filho” porém ela não conseguiu sobreviver aquela hora e morreu ali mesmo diante da dor e sofrimento. No seu último suspiro ela colocou o nome dele de Benoni “filho da minha dor”, mais seu pai Jacó mudou chamando de Benjamim que quer dizer “filho da mão direita” [6].

Para o patriarca Jacó a morte de Raquel filha de Labão veio com amargor em meio a jornada sofrida, o soprar das árvores, o canto do cisne e o cansaço da viagem sem a mulher do seu amor juvenil, trouxe tristeza para o guerreiro Jacó que agora não tinha mas em seus braços a mulher amada que fez o patriarca trabalhar com ardor durante 14 anos como paga para Labão pelo seu amor.

Em meio a viagem difícil Jacó sepultou sua esposa no velho caminho rumo a Efrata findando para sempre um amor antigo. Minha vida e minha história estão completamente ligadas às tradições judaicas em meio ao mundo greco-romano. Fomos criados com este perfil e zelo religioso que banhou a minha vida até o encontro com Cristo crucificado na estrada de Damasco.

Capítulo do livro que o Pastor Carlos Lopes está escrevendo sobre a vida do Apóstolo São Paulo: Do Meu Próprio Punho

Pr.Carlos Augusto Lopes
Teólogo


[1] Usei o termo do meu próprio punho pois várias vezes o Apóstolo Paulo usou nas suas cartas como em I Cor.16.21;Gl.6.11;Cl.4.18; IITs.3.17;Fm.19
[1] Atos 9.11
[1] A saga do Rei Saul está escrita em I Samuel cap.9 até 31. O nome Saulo é um nome judaico
[1] Paulo em suas cartas deixou claro que ele era da tribo de Benjamim “Rm.11.1; Fp.3.5”.
[1] Em Gn.35.21-26 alista os nomes dos filhos de Jacó que formam as 12 tribos.
[1] Em Gn.35.16-20 narra o drama de Raquel e o nascimento conturbado de Benjamim

Um comentário:

wesley disse...

Pr.Carlos Augusto Lopes, como pastor e teólogo, tem conseguido entrelaçar, em seus textos, os valores mais profundos da teologia reformada com as marcas mais singelas da espiritualidade e práxis cristã. Vale a pena acompanhar seu blog e suas digitais!