sexta-feira, 17 de abril de 2009

COMPLETANDO 16 ANOS DE CASADO: PRETO NO BRANCO , BRANCO NO PRETO- HÁ HISTÓRIA DE UM CASAMENTO- POESIA, PIEDADE E LIBERDADE.

Familia de fato é um dom de Deus e um privilégio para a raça humana. A família é a celular mater da sociedade e o primeiro núcleo social do indivíduo. Eu, Gosto de meditar, de estudar, de fazer teologia, de pregar, de dar aula, realizar palestra, aconselhar, escrever.

Mas gosto de ficar com a minha família e me recolher para a quietude barulhenta do meu lar que tem caractéres restaurador, sanador e de refúgio em meio ao agitado mundo contemporâneo.

É justamente ali " em família" ao lado de Cida e Vitor que não existe máscaras pois, somos o que somos, gente, que chora, que rir, que se irrita, que perdoa, que ama, que abraça, que sofre, que fica acanhado, que poetiza e que não consegue perpetuar o individualismo tão pulsante em nossa geração, pois familia é justamente o coletivo, des da pasta de dente até o sabonete tudo é incomum, a mesma alimentação, o mesmo teto os mesmos desafios e por ai vai.


Vitor Augusto já está com sete anos e logo vai fazer oito, me lembro quando estava na minha casa em meu periodo de estudo teológico no Seminário quando Cida minha esposa foi na cidade de Altônia, proximo do Paraguai e de Mato Grosso onde morávamos fazer o "exame", quando chegou perto do refeitório entre a pracinha que cruza a frente da nossa casa, num gesto de triunfo bradou: " "estou gravida", e eu sem jeito com alegria no rosto agradeci a Deus autor da vida.

A Cida naquele último ano de Seminário fez sua monografia grávida e se formou gravida. A minha Monografia foi sobre " A Igreja Cristã e o Tratado do Sermão do Monte" já a dela foi sobre " A Graça um Caminho de Liberdade" e de fato foi a graça de Deus que fez ela chegar até o fim daqauele projeto de estudos, prestes a ter um filho amado.

Os amigos do Semib brincavam ... vai levar para o Sul dois diplomas " um Teológico" e o outro de "Mãe e de Pai". De fato o tempo passa, mas a vida familiar sem dúvida é uma escola cuja a diplomação não se consegue em quatro anos acadêmicos, pois ela se mistura com a hermenéutica da vida e a vida é uma escola e a familia a grande pedagoga. De fato agradeço a Deus por minha família e acima de tudo por ela pertencer a grande família da fé.

Eu e Cida aqui nas bandas do Sul rompemos com status quo no que tange as rudes tradições "afro- branqueza". Quando ela já estava na fé em Cristo eu ainda andava pelos bastidores da velha vida mundana e não conhecia fé alguma.

Quando cheguei na igreja ela a muito tempo já estava servindo a Cristo. Ela já tinha um curso universitário e era aplicada e metódica em seus estudos e afazeres . Ela era Branca e eu Negro. Ela era viúva e , eu antes de conhecer a Cristo só namorava. Ela tinha uma filhinha " Gaby" , e eu a tive como minha filha.

Eu e Cida nos casamos em 1993, e para a alegria de todos era o dia mas frio do ano, mas para nós o dia mais especial pois estava marcado pelo proposito maior de Deus nas nossas vidas. Naquele dia do casamento consegui uma moto emprestada e corri de um lado para outro para deixar tudo certinho. Depois de fazer tudo fui para casa me arrumar e quando fui fazer a barba me cortei e por concidencia sujei a camisa de sangue e a bendita borboleta que vai na gola para combinar com o manto em forma de cinta da cor vermelha sumiu, tive que correr na vizinhança atrás de uma borboleta e consegui uma preta

Para ir para a igreja combinei com o meu primo Orlando para me levar e ele chegou lá com seu fuscão Fafá e lá fomos de fusca para a igreja cheio de moral e palidamente nervoso. Eu poderia cantar a música antiga do Rebanhão " Eu, era magro que dava dó", usava um óculos esquisito e meu cabelo era no formato de quadrado que na época era um charme rsrsr.

Cida, estava todo bonita, bem arrumada, bem maquiada coisas de mulher , mas não chegou de fusca como eu. A igreja Velha estava cheia, o irmão Gerson Samuel cantou, Pr. Bartolomeu de Andrade fez a Cerimônia e o irmão Zé da Lomba fez a filmagem.

O fotógrafo era todo atrapalhado estava no tempo do laminaço e toda vez que mudava a lamina fazia um barulhão e no final quando estavamos batendo as últimas fotos no ASES ' associação da Eletrosul" naquele frio que quase ficamos encarangados, ele e seu filho discutiram rsrsrs. O album das fotos só pegamos uns dois anos depois com muito sacrificio rsrsrs.

Gaby, bem pequena levou as alianças e no meio da cerimonia quase desmaiou de fome, pois não consegiu comer nada antes do casamento é que a irmã Lídia " In memorian", tinha feito uma dobradinha saboreosa. Eu adorei mas criança sabe como é as vezes não gostam das coisas boas da vida rsrsrs

Falando um pouco da Gaby, ela sempre foi fiel a Deus, sempre na igreja, foi para o Seminário com a gente e lá absorveu de fato a fé Cristã, viajou com a gente por vários lugares daquele Paraná e Paraguai fazendo evangelismo através da dança. No Seminário dançava coreografia e quando voltamos para Tubarão fundou o Grupo Grande Expressão de dança, também viajou pelo Rio Grande do Sul evangelizando através da dança. Entrou na Universidade " Unisul", e se formou como Enfermeira, casou com o jornalista Ricardo Dias ministro de Louvor da ADI e hoje é enfermeira chefe do Hospital de uma cidade aqui próximo e faz pós-graduação em obstetria em Curitiba sendo sempre fiel a Deus.

Voltando um pouco para o meu casamento nossa Lua de mel foi na praia histórica de Laguna(SC), mas o frio e a chuva desafiou a nossa fé, arrumamos emprestado o apartamento de uns amigos de cobertura " chic" mas em todo prédio só estava a gente, era o rigor do inverno e o vento que soprava lá fora fez eu fazer o convite para o casal que nos levou.


" Quem sabe voces dorme aí", na verdade estava meio cabrero como diz o mateiro em ficar ali sozinho em meio a quietude da madrugada que já tinha chegado, o Sander até achou a idéa boa mas sua mulher Ana Lúcia sábia rsrs logo disse " que é isso rapaz", rsrs.

Não tinhamos dinheiro para levar para a lua de mel e então levamos algumas comidas do casamento " churrasco, maioneses, pedaço de bolo, refrigerante" etc. Mas quando estavamos saindo uma irmã colocou no bolso do meu paletó um cheque, estava louco para ver o valor mas seria precipitação, mas no caminho não aguentei a curiosidade e olhei " Ó Gloria!", era o dinheiro para a gente passar a lua de mel, ele veio de Deus que usou aquela irmã para nós abençoar

Olhei para o churrasco frio, a maionese fria do outro dia e olhei para o cheque e disse: Cida vamos almoçar fora eu pago, e lá fomos nós almoçar fora com a benção que Deus tinha dado. Eu mandei fazer para mim um casacão preto de lã para passear com a cida a noite, a irmã Salete no final me deu de presente. Lá estava eu, todo exibido com o casacão preto como um turista chicano latino americano de uma cidade ao lado. A cida tinha comprado uma camisa listrada do tempo do "épa", mas para a época era moderna rsrsr, meu casacão preto doei para um africano quando veio estudar no Brasil.
Assim ficamos uma semana na Laguna, andamos pelo calçadão deserto, passeamos pela praia solitária, tiramos fotos e na época não era digital mas Kodak emprestada, passeamos na parte velha da cidade da Laguna, fomos no museu Anita Garibaldi e por fim fomos no Farol de Santa Marta para conhecer " se bem que já conhecíamos mas no inicio do casamento tudo é bom", mais numa bobiada perdemos o buzão e lá ficamos a tarde inteira esperando o bendito ônibus que só passava duas vezes ao dia.

Quando chegava a noite, sozinho naquele predio, fechavamos tudo, des da porta lá embaixo até a porta do quarto rsrs, será que era medo? Neste tempo fiz uma música para a Cida " Preto No Branco" e essa poesia musicada, por muitas vezes cantamos.

Naquela Laguna celebramos a Cristo, Celebramos a Vida, Celebramos a nossa União, Celebramos a Graça derramada, Celebramos o rompimento do preconceito, Celebramos a Deus, que nos tinha chamado para uma nova vida com Cristo, de fato é Deus que escreve a nossa história, Ele é o cineasta do grande cenário da vida, Ele é o Soberano Senhor de tudo, pois tudo inicia NELE e se finda NELE Ele é a nossa panacéia.

Quando acabou a Lua de Mel viemos de "Alvorada" ônibus comum na nossa região que apelidaram de alvoraçada, cai na besteira de perguntar para o cobrador qual era a nossa poltrona e o rapaz sorriu dizendo quem sentar primeiro pega rsrsrs

Aquela viagem de Alvorada que era além de tudo um ônibus pinga a pinga, era a nossa história iniciada, era a nossa história que começava como um retrós que vai desenrolando na divina comédia humana.

Aquele ônibus simples de banco duro, motor barulhento, lotado de gente simples que de dez em dez minutos parava, foi o nosso trans atlantico, melhor que o Titanic que afundou, melhor que o chiquismo do casamento da princesa Dayna, pois todos naufragaram no grande mar da vida, das surpresas e das ilusões.

Deus, nos chamou para a celebração, seja ela em qualquer lugar des de que Jesus esteje na frente e que esteje guiando a nossa vida a nosa trajetoria seja plataforma ministerial, conjugal, familiar etc. pois, de fato quando Deus norteia a nossa existência estamos seguros em tudo então podemos dizer e poetizar como disse o médico e missionário inglés David Livingstone "Sem Cristo nenhum passo , Com Cristo a qualquer lugar"

Deus o Todo Poderoso armou uma tenda para mim e para a cida compartilhar a vida "chamado familia", como também para todos os seus servos espalhados no mundo inteiro e o incrível disso tudo é que cada um tem uma história diferente para ser narrado com graça e singeleza diante de Deus e dos homens. Agora já 15 anos de casamento e basicamente 18 anos que nos conhecemos de fato o tempo passa mais nosso amor permanece pela graça de Deus.

Pastor Carlos Augusto Lopes

















4 comentários:

Sandra disse...

Muito bom ler sobre esta linda história de amor de vocês e poder lembrar que a 6 anos atrás um dia a Cida me contou em partes esta linda história e que me ajudou tanto a ter esperança em Deus , visto que na época eu estava me sentindo completamente destruida e com um filhinho nos braços pra criar...e eu já não acreditava que poderia Deus me perdoar e ainda me conseder essa benção que é meu esposo na minha vida e na vida do meu filho...
Louvo a Deus por ter colocado você e a Cida no meu caminho para me servir de exemplo e para me motivar buscar, acreditar e perseverar em Deus ...

W.Medeiros disse...

Dizem que um gesto muitas vezes vale mais que mil palavras, eu diria que imagem também, as fotos estão lindas, e retratam exatamente aquilo vocês são!

gabriela disse...

Bom.... esta história eu vivenciei de perto e pela graça de Deus faço parte.
Venho aqui dizer em público que amo muito vcs meus pais e que me orgulho MUITO de ser filha de vcs...
Nunca se esqueçam disso...

Selma disse...

sou mae do wesley
achei linda a historia de vcs
confesso que certas partes eu ri
parabens por essa maravilhosa uniao
que deus os ilumine sempre